sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

Pensamento ou mente bilingue



Sumário

O uso regular de duas línguas por indivíduos bilíngues tem se mostrado ter um amplo impacto na linguagem e no funcionamento cognitivo. Nesta monografia, nós consideramos quatro aspectos desta influência.

Na primeira seção, nós examinamos diferenças entre monolíngues e bilíngues na aquisição da linguagem pelas crianças e o processamento linguistico pelos adultos, particularmente em termos de recuperação (lembrança ou memória) do léxico.


As crianças aprendendo duas linguagens desde o nascimento seguem as mesmas etapas da aquisição de linguagem como os  monolíngues fazem (primeiro palavras, primeiro o uso da gramática) mas podem usar estratégias diferentes para aquisição de linguagem, e elas geralmente tem um menor vocabulário em cada linguagem do que tem uma criança monolíngue aprendendo apenas uma única linguagem.

Os adultos bilíngues geralmente levam mais tempo para lembrar (recuperar) palavras individuais do que os monolíngues e eles geram menos palavras para satisfazer (atender) uma restrição (limitação) tal como associação de categoria ou leitura (carta) inicial.

Na segundo seção, nós consideramos o impacto da prática do bilingualismo no processamento cognitivo não verbal em ambos, crianças e adultos.

O efeito primário neste caso é a melhoria do controle executivo das funções nos bilíngues.

Nas tarefas que requerem proibição da distração (concentração, atenção), trocas entre tarefas, ou manutenção de informações na mente durante a execução de uma tarefa (atividade, trabalho), os bilíngues de todas as idades superam comparavelmente os monolíngues.

Uma possível razão é que os bilíngues recrutam processos de controle para tratar sua performance (processamento) linguística em andamento e que esses processos de controle tornam-se maiores (mais realçados) do que para os outros não relacionados aos aspectos do processamento cognitivo.

Evidência preliminar também sugerem que o controle executivo pode favorecer e mesmo mitigar o declínio cognitivo em idadade avançada e contribuir para a reserva cognitiva, a qual, por sua vez, pode adiar a doença de Alzheimer.

Na terceira seção, nós descrevemos as redes cerebrais que são responsáveis pelo processamento da linguagem nos bilíngues e demonstramos seu envolvimento no controle executivo não verbal nos bilíngues.

Nós começamos revisando as pesquisas sobre neuroimagem que identificam as redes usadas por várias tarefas de controle executivo não verbal na literatura.

Essas redes são usadas como um ponto de refência para interpretar a maneira pela qual os bilíngues executam igualmente o controle das tarefas verbal e não verbal.

O resultado mostra que bilíngues gerenciam a atenção para seus dois sistemas de linguagem usando a mesmas redes que são usadas por monolíngues executando tarefas não verbais.

Na quarta seção, nós discutimos as circunstâncias especiais que cercam o referencial de crianças bilíngues (por exemplo, atraso na linguagem) e adultos [por exemplo, apoplexia (Hemorragia cerebral que determina a suspensão da sensibilidade e do movimento, mas não a da circulação e da respiração) ou batida] por intervenções clínicas.

Esses referenciais estão tipicamente baseados em avaliações padronizadas que usam dados normativos de populações monolíngue, tais como tamanho do vocabulário e recuperação (lembrança) lexical.

Como nós temos visto, contudo, estas medidas são frequentemente diferentes para bilíngues, igualmente para crianças e adultos.

Nós discutimos as implicações dessas diferenças linguisticas para testes padronizados de  desempenho e abordagens clínicas.

Nós concluímos considerando algumas questões que tem importante implicações na política pública.

Quais são os prós e contras dos programas educacionais de imersão em Francês ou Espanhol, por exemplo?

Também, se o bilingualimo confere vantagens em certos aspectos, como sobre três línguas - fazem os benefícios aumentarem?

No campo da saúde, como o presente conhecimento pode ajudar no tratamento da afasia (perda ou alteração da capacidade de falar ou de compreender a linguagem escrita ou falada) bilingue de pacientes após AVC?

Dado o recente aumento no bilingualismo como um tema de pesquisa, respostas para estas e outras questões relacionadas deverão estar disponíveis no futuo próximo.

Tradução: M... Ohse